algas-marinhas-arte

Nutrição Funcional

Quem quer ficar por dentro de todas as novidades da nutrição funcional, tem que conhecer a Patricia Davidson Haiat, ela foi a primeira nutricionista funcional do Rio de Janeiro, queridinha das globais e famosas. Vou postar algumas dicas  aqui para vocês sobre nutrição funcional.

Confira no site todas as informações: http://www.patriciadavidson.com.br

DICA: O PODER DAS ALGAS MARINHAS

As algas ou vegetais marinhos apresentam elevada concentração de nutrientes, especialmente de minerais, que perfazem de 20 a 30% do peso total da alga seca. Esse é um ponto importante, já que frequentemente os vegetais terrestres apresentam valor nutricional aquém do esperado devido à desmineralização dos solos. Assim, a inclusão de algas marinhas na alimentação é uma forma de garantirmos a suplementação saudável de minerais traço como cobalto, flúor, manganês, molibdênio, selênio e zinco, necessários em pequenas quantidades para manter os processos metabólicos normais.
São ótimas fontes de fibra, especialmente os alginatos, carragenina e ágar, que aumentam a sensação de saciedade, já que não são digeridas no trato gastrintestinal.
O ácido algínico, polissacarídeo abundante nas algas tem a habilidade de limpar o organismo das diversas toxinas, transformando os metais tóxicos que possam estra presentes nos intestinos em sais inócuos que podem ser facilmente eliminados.
Outra questão que merece destaque é o fato das algas serem uma das poucas fontes vegetais de vitamina B12, vitamina essa importantíssima às funções cognitivas. Ótima opção para os adeptos da alimentação vegetariana!
Ricas em antioxidantes, elas são capazes de bloquear os radicais livres e assim retardar o envelhecimento precoce e desenvolvimento de células cancerígenas. As algas contêm a maioria dos antioxidantes das frutas e hortaliças, como os carotenoides e polifenóis, mas destacam-se a fucoxantina (presente nas algas wakame e kombu) e a ficoeritrina (presente nas algas vermelhas nori e dulse).
Apresentam teor considerável dos ácidos graxos benéficos ao organismo, os ômegas. Menos de 6% do peso da alga seca corresponde à gordura e 50% dessa gordura é de ômega 3 e 6. Sendo substrato para os peixes de água fria e profunda, estes tornam-se também boa fonte de ômegas.
E claro, são ricas em iodo! Apenas 0,03g de alga kombu por exemplo, cobre a necessidade diária recomendada para o mineral. Por esse mesmo motivo, devem ser consumidas com moderação, na porção máxima de 10g de alga marinha seca por dia, o que equivale a 30g delas hidratadas.

algas-marinhas-arte

Fonte: http://www.patriciadavidson.com.br/blog/o-poder-das-algas-marinhas

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fechar Menu