10984197_786586554752833_8014697087874176105_o

Hipertrofia

Gravem esta frase ” Conhecimento é poder ” , gente.. Quem tem, não pecará por adquirir sempre mais!! Eu não tenho nem a metade do conhecimento que pretendo ter.. Mas esse já é um caminho pra chegar lá né..querer! E querer é poder, basta somente fazer por merecer!
Ao assunto que nos interessa – HIPERTROFIA – por que é importante saber os processos que o nosso organismo sofre para que haja hipertrofia?
Para que nos possibilite (nós educadores físicos) prescrever um treino o mais eficiente e coerente possível, dando subsídio ao nosso aluno a conquistar seus objetivos mais rápidos.

Se faz necessário, anteriormente, o entendimento do que vem a ser a hipertrofia.
A HIPERTROFIA nada mais é o aumento do tamanho das fibras musculares, que se regeneraram e se adaptaram após algum tipo de stress com grande sobrecarga.
Neste caso, o stress será gerado pela musculação/ treinamento de força ou resistido. E para hipertrofia, a intensidade deve ser alta, tentando chegar perto, no mínimo, de uma falha concêntrica e/ou excêntrica.
Nesse sentido, podemos começar a pensar sobre os principais processos fisiológicos ligados à hipertrofia, que ocorrem com o treinamento resistido, são eles:
– MECANOTRANSDUÇÃO – conversão dos estímulos mecânicos que foram dados a fibra (estímulos externos) em estímulos fisiológicos.
– MICROLESÃO – danos de fibras musculares (quanto mais lesão, mais hipertrofia);
– OSMOLARIDADE – aumento do volume plasmático das fibras (aumento do tamanho da fibra pela entrada de água), por causa do acúmulo de Na em seu meio intracelular – ficando mais saturado, a célula permite uma maior entrada de água;
– CÉLULAS SATÉLITES – aumento das células satélites, estas que estão diretamente ligadas ao processo de regeneração muscular;
– SECREÇÕES HORMONAIS – liberação de GH, IGF-1, insulina, testosterona, que estão diretamente ligados ao anabolismo muscular.
Todos esses processos irão favorecer uma maior síntese se proteínas, estas que irão reestabelecer toda a musculatura lesada e gerar hipertrofia.

O que importa saber sobre todos esses processos:
I – nada! Seu professor é quem deve saber.. Hahahah brincadeira gente (mas é verdade).

II – se quiser ter hipertrofia você deverá treinar o mais intenso que puder.

III – último ponto, e resumindo, se o estímulo não for pra hipertrofia (ex: fazer agachamento em plataforma estável ), seu corpo não terá respostas fisiológicas referentes ao desenvolvimento desta variável. Se não treinar musculação intensamente, não chegará perto de ter microlesão de fibras ou aumento de células satélites e muito menos a secreção hormonal para tal finalidade.

Então, ta preparado pra hipertrofiar? Alguém ai quer treinar intenso? Daqui a pouco eu vou, porque conseguir hipertrofia aqui não ta fácil não! Tenho muita dificuldade mesmo de hipertrofiar, mas não desisto não, corro atrás!

**esse tópico e somente sobre treinamento, e tem muitas outras variáveis que interferem no resultado, além de a dieta ter um papel fundamental. Ok?

Mayara Vilaça

11095359_789287877816034_6395058879802299003_n 10984197_786586554752833_8014697087874176105_o

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email